estrela maciça que, num estágio avançado de sua evolução, explode, passando repentinamente a brilhar de modo muito intenso...

agosto 26, 2004

Cotidiano

Ela não sabia o que a acometera aquele dia. Talvez a explosão de hormônios em virtude do ciclo - desculpa que serve para qualquer coisa, desde choro incopioso no meio da festa até cara azeda em domingo de chuva, deitada ao sofá, comendo pipoca.

Tinha acordado com o pé esquerdo, de mal com a vida, detestando suas unhas vermelhas - não podia ter escolhido uma outra cor?. Não reconheceu sua expressão naquele rosto disforme e inchado de sono. Odiava acordar cedo. Aliás, odiava muita coisa. Mas nunca dizia a palavra ódio porque atraia más energias. Mas hoje estava com vontade: eu odeio!

Tinha que tomar banho. Odiava o fato de não ter ido tomar banho antes de dormir, o que dispensaria a ducha àquela hora da madrugada. Odiou ter estado tão cansada que não tinha mais forças para se levantar quando se deitava. Odiava a água que demorava a ficar quente. Odiava a água que ficava quente demais. Odiava ter que ficar regulando a temperatura o tempo todo.

Odiava tomar leite puro, mas o fez como forma de penitência por um pecado que não cometeu. Não quis comer nada e saiu de casa com gosto de estômago vazio e de pasta-de-dente de menta.

Olhou seu reflexo nos carros estacionados na calçada e odiava estar gorda daquele jeito. Logo, logo sairia rolando, tinha certeza. Odiou não ter corrido rápido o suficiente para alcançar o ônibus - era aquela gordura que se acumulava em volta do quadril. Odiou o trocador que demorou a lhe dar o troco. Odiou que houvesse tantas pessoas se espremendo e se roçando naquele espaço apertado entre os bancos. Odiou a moça gorda que passou e arrastou a bolsa de couro por seu rosto. Odiou ter que desculpá-la.

Desceu do ônibus e odiou estar tão atrasada. Odiou o relógio que toca atrasado, o ônibus que anda apressado e a moça gorda que bate com a bolsa no rosto dos passageiros. Odiou tudo até que avistou a praia de Ipanema. E amou estar ali.

3 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Muito bom, ralmente muito bom! Assim você vai longe menina! Mas não esqueça que no dia do arquivo confidencial no Faustão estarei lá falando de meu incentivo ao longo dos anos!!!

Hehehe! Beijos Taty

7:26 PM

 
Blogger Katyara said...

EU SABIA!!!

Sensacional, Supernova.

12:28 AM

 
Anonymous Anônimo said...

Simples e sensacional... Tô virando fã!! PARABÉNS! beijos, Renatinha (ex-pH)

4:45 PM

 

Postar um comentário

<< Home