estrela maciça que, num estágio avançado de sua evolução, explode, passando repentinamente a brilhar de modo muito intenso...

novembro 21, 2005

Sobre pequenas grandes coisas



Poderia ter acontecido em um dos tantos cafés charmosérrimos parisienses. Eu estaria tomando um cappucino, ela estaria tomando chocolate quente. Sentaríamos na mesa mais próxima da vitrine. Eu, prudentemente, esperaria alguns minutos a bebida esfriar. Afastaria a xícara para perto do vidro. Ela mexeria a colherinha em movimentos circulares por mais tempo do que o necessário, como se querendo dissolver mais o açúcar do que fosse possível. Eu não comeria nada - o gosto da angústia afastava meu apetite. Ela pediria um croissant e apontaria para o balcão, especificando o que desejava. Falaríamos sobre trivialidades até que o atendente trouxesse o pedido. Ela tiraria a colher da xícara e a repousaria sobre o pires ao lado. Tomaria o primeiro gole e, olhando para mim, perguntaria o que houve.

Contudo, ela estava lá. E eu estava aqui. Milhares de quilômetros nos separavam.

Nunca estivemos tão próximas.

2 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Quando eu li no orkut fiquei indagando como vc (d)escreveria... nao poderia ser melhor. Pena q eu nao posso te elogiar mais =P

TE AMO!!! Beijos, lu

6:38 PM

 
Blogger João Gabriel said...

incrível a sua capacidade de tornar algo tão real em um pequenino texto. colocando todos os acontecimentos e sentimentos de uma forma tão harmônica. adorei seu texto. muito bom mesmo. realmente seu futuro é brilhante. mesmo numa situação difícil, você conseguiu escrever um lindo texto. só quem sabe o que se passou vai gostar deste texto como eu amei.
beijos. tenho muito orgulho de você. te amo.

4:04 AM

 

Postar um comentário

<< Home