estrela maciça que, num estágio avançado de sua evolução, explode, passando repentinamente a brilhar de modo muito intenso...

dezembro 08, 2005

Da série "nobres sentimentos" - Dor



De Fernando Pessoa

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.


E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.


Simplesmente porque não há como não se curvar diante de uma verdade que, de tão verdadeira, chega a doer. Mas doer a dor que tenho e não a que finjo não ter.