estrela maciça que, num estágio avançado de sua evolução, explode, passando repentinamente a brilhar de modo muito intenso...

maio 23, 2006

Janela



Estive pensando em você outro dia (ontem).

Eu ainda acho muito estranho o rumo que a nossa estrada tomou. Ninguém contou que haveria uma bifurcação no percurso. Nem eu mesma poderia ter imaginado.

Foi eu quem jogou aquela pedra na sua janela, no outro dia (ontem). Eu sei que você vai dizer que nunca teria imaginado que eu seria capaz e não vai dizer que tinha certeza de que aquela pedra tinha saído das minhas mãos. Você sempre diz não saber das coisas que sabe e eu sempre achei isso muito estranho em você.

Mas agora eu acho tudo estranho. Absolutamente tudo, absolutamente estranho.

Fiquei um tempão debaixo da sua janela, ouvindo a sua voz, vendo o movimento das sombras do seu quarto refletidas no muro da casa da frente. Percebi quantas vezes você entrou e saiu do recinto, vi quando você se sentou à escrivaninha e vi também que você se levantou três minutos depois, sem conseguir se concentrar. Eu vi que alguém te ligou, mas eu não sei quem. Eu sei que você ficou rindo alto. Você me parecia feliz.

Desculpe pela pedra na janela. Não foi por mal. É que eu queria ver o seu rosto para ter certeza de que ainda era você que estava ali. A barba sempre por fazer... Quando você vai aprender que o seu rosto é muito mais bonito sem pêlos? Se você ao menos soubesse...

Existem realmente muitas coisas que você não sabe, além daquelas que você sabe e diz não saber. Existem muitas coisas que eu também não sei, mas isso, de alguma forma, não me incomoda.

Você sabe que eu nunca fui sub-reptícia, que jogar pedras em janelas não faz o meu estilo. Mas é que, de vez em quando, eu quero ver se você ainda está lá. Não, não tem nenhum motivo especial não. Saber que você está lá é bom só pela segurança de saber que você está lá, mas as implicações disso eu também não consigo entender.

Existem realmente muitas coisas que eu não entendo, fora aquelas que eu não entendo e finjo entender.

E é claro que você sabe, mas diz não saber que eu não entendo o que pareço entender.